Instituto Durmstrang
É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome se quiser ter a conta ativada, não ativaremos nomes comuns utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Teddy Lupin

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Mensagem por Aurora Rousseal Von'Rizzi em Ter Abr 11, 2017 3:01 am

Características Físicas


Teddy é o único filho de Remus J. Lupin e de Ninfadora Tonks, quando nasceu Teddy possuía os cabelos tão escuros quanto os do pai e olhos esverdeados como os do pai, porém alguns anos depois o garoto começou a dar vestígios de ter herdado o dom de sua mãe, tornando-se assim um metamorfomago, com o passar do tempo, tempo começou a ganhar corpo parecendo-se muito com seu pai, não era muito corpulento, mas ainda sim possuía o semblante forte e jeitoso do pai, a única coisa que o diferenciada de Remo era seu rosto, que não aparentava estar tão velho e cansado.

Características Psicológicas


Teddy é um rapaz completamente calma, não fazendo assim o tipo de pessoa ciumenta, mas é do tipo protetor e muito cuidadoso. Um menino delicado, amante dos animais e da natureza, apaixonado pelos astros, talvez essa paixão fosse a explicação dele ter tanta imaginação, um garoto que se perde rápido em conversas em grupos por estar sempre viajando. O rapaz é apaixonado por leitura e músicas, o que faz dele uma pessoa observadora e pensativa, Teddy odeia tudo que julga ser injusto ou for uma forma de injustiça, não gosta também de pessoas que gostam de se acharem melhores e superior aos outros.

Questionário + História


01. Porque escolheu esse Cannon? Devido ao fato de ser muito fã do casal Tonks e Remus, sem falar que admiro muito como os dois mesmo com todos os motivos para não ficarem juntos, mesmo assim decidiram passar por cima e se unirem, cansando-se e ainda tendo um filho maravilhoso que é o Teddy.
02. Porque acha que deve assumi-lo? Por ter uma enorme paixão pelos pais do garoto, uma porque o pai de Teddy foi um dos grandes amigos do pai de Harry e foi quem protegeu o filho do melhor amigo como podia. A mãe do menino também não fica atrás, pois quando Potter teve que ser transferido da casa dos tios dele para A Toca, ela foi junto. Sem contar que eles deram a vida deles para ajudar na batalha, mesmo sabendo que poderiam morrer e o filho deles cresceria sem pai e mãe.
03. Quanto tempo tem disponível? Total no período da tarde e noite durante a semana, e aos finais de semana..
04. Apresente um post de pelo menos 15 linhas de como agiria interpretando o Cannon escolhido.

A semanas ele vinha pensando em algo para fazer com a jovem meio-veela. Ele queria fazer algo que só envolvesse os dois, em um lugar que tivesse só ele e ela, não queria que ninguém atrapalhasse o clima dos dois. Famíla grande era legal para algumas coisas, mas às vezes não, ter privacidade quando a família é grande e a casa está sempre cheia é algo complicado de se conseguir quando alguém se apaixona por um Weasley. Foi então que surgiu a ideia de leva-la para um lugar que tivesse alguma cabana, um lugar que pudessem fazer trilha, nadar, cantar e ver as estrelas sem ninguém para atrapalhar, mas ele tinha que ficar de olho no calendário, pois se ele esquecesse e fosse acampar em noite de lua cheia, o que fosse para ser um final de semana especial e inesquecível, se tornaria uma tragédia.   -Hey, que cheiro bom é esse? - perguntou o moreno ao adentrar a cozinha da toca e se deparar com a loira que arrancava suspiros de seus peito perto do fogão. - Adoro suas panquecas, tem lugar para mais um na mesa? - questionou-a dando um beijo em sua bochecha.  O resto da família estava nos jardins e só os dois estavam dentro da casa. - Pego sim, pode deixar. - respondeu ao pedido da jovem e seguiu em direção a geladeira, abriu e apanhou a geleia de amora, não demorando em colocar o pote sobre a mesa. - Eu pensei que poderíamos fazer uma trilha, só nós dois, acha que seus pais implicariam com isso? - perguntou enquanto começava a passar geleia em uma panqueca. - Seria em uma sexta até sábado pela manhã, domingo  a gente já estaria de volta para o almoço em família. - Ele sabia que os almoços de domingo eram sagrados na Toca, a família inteira se reunia e ele viveu crescendo nessa rotina de todos se juntarem. Não pode deixar de rir ao escutar o comentário da jovem. - Claro que eu pensei em tudo, não quero que sua mãe implique comigo igual quando você se machucava do nada quando pequena. - a provocou e pode ver a menina o fuzilar com o olhar ao mesmo tempo que ela falava que ele não passava de um garoto meio encapetado. - Que blasfêmia! - exclamou antes de cair na gargalhada.  - Você fala com a sua mãe? - perguntou arqueando a sobrancelha esquerda, ele tinha um certo receio da mãe da menina, mas as coisas com o pai dela eram um pouco mais fáceis para ele lidar. - Combinado, falo com ele daqui a pouco. - respondeu antes de roubar um selinho rápido, pois algum aborrecente poderia aparecer para encher o saco e acabar com o clima legal. Após terminarem de comer, deixaram a louça na pia que começou a se lavar sozinha e cada um seguiu para um lado, era hora de convencer os pais da garota sobre o passeio que os namorados queriam fazer o mais rápido possível.

05. Texto aqui, aqui deve conter a trama narrada. Suas origens e como foi possível. Seja coerente.

Teddy foi um garoto que recebeu muita atenção de seus padrinhos, Harry e Gina, além da sua avó, sendo assim, ele se tornou um garoto muito bom. Sua vida era viver na casa de Harry e na Toca, o que fez com que o garoto tivesse facilidade em se dar bem com todos a sua volta, onde ele chega, ele consegue fazer amizades sem delongas. Quando ele tinha dois anos de vida, Victoire nasceu, a neta mais velha de Molly, a menina que o garoto se apegou. O pequeno cresceu no meio dos Weasley, o que poderia ser confundido facilmente com um deles em algum passeio que eles fizessem no mundo trouxa.

Assim que recebeu a carta para ingressar em Hogwarts, Andromeda, sua avó, lhe deu uma boa quantidade em dinheiro  e pediu para que Harry levasse o garoto para comprar seus materiais para o futuro que o aguardava na escola que seus pais frequentaram. Por ter um coração muito bom e ser amigo de todos o chapéu ficou em dúvida se o garoto se encaixaria melhor na Grifinória ou na Lufa-lufa, a seleção do garoto demorou mais que a dos outros, pois ele o chapéu bateram um papinho, depois de palavras trocadas, o chapéu anunciou em alto e bom tom qual casa seria a morada do menino enquanto estudasse ali. Ele fora destinado a ser da mesma casa que seu pai e isso não foi surpresa nenhuma para Harry quando descobriu a notícia. Por ser um garoto sentimental, ele ficou com medo que os garotos não quisessem ficar perto dele, mas o seu jeito amigo e companheiro, sempre conversador fez com que ele fizesse amizades muito rápido. Ele sentia falta de Vic, mas a menina ainda era muito nova para poder estar pelos corredores de Hogwarts ao seu lado, brincando e aprontando. Quando desembarcou na estação, um sorriso grande tomou conta dos lábios do garoto que viu Victoire correr em sua direção e o abraçar, realmente eles tinham se tornado grandes amigos. Apaixonou-se pela música ao aprender com Vic a tocar violão e essa foi a melhor coisa que a menina poderia ensinar a ele, pois esse foi o meio que ele arranjou para fugir do pensamento da morte de seus pais.

A loira só entrou em Hogwarts quando o menino estava no seu terceiro ano, a menina caiu na mesma casa que ele, o que só fez ambos continuarem mais unidos do que já eram. Ele namorava uma garota e ele e a Weasley só eram amigos, porém no natal daquele ano ele viu o quanto ela tinha crescido e passou a vê-la com outros olhos, o que fez termina com a menina que tinha como companheira, passando a ser um garoto solteiro novamente, mas o medo da reprovação dos pais da garota por ele ser um licantropo, o impedia de demonstrar como ele realmente a via.

Ele já tinha se formado, mas a menina ainda teria mais dois ano para ficar no castelo e foi pensando na falta que ela faria que ele resolveu fazer uma visita a casa dela. Levou a menina até o jardim e ambos ficaram olhando as constelações, até que o menino acabou deixando seus sentimento tomarem conta de seu corpo e o primeiro beijo deles aconteceu, fazendo com que ele sumisse de vista logo em seguida por não saber como reagir. Ela poderia não querer mais ver ele, poderia não sentir a mesma coisa que ele sentia por ela e ele não aguentaria saber disso naquele momento. Como na manhã seguinte ela embarcaria, eles não se veriam mais, mas a Weasley foi a que teve a iniciativa dessa vez, mandou uma carta para ele e porque? Bom, ela havia prometido antes do beijo que iria escrever toda semana  e estava cumprindo a sua promessa além de que ela sentia a falta dele.

O beijo que ele tinha dado na garota sem permissão, mas que fora retribuído com carinho, fez com que algo ainda mais forte brotasse entre os dois. Eles estavam perdidamente apaixonados e por Teddy já pode aparatar, todos os fins de semanas ele ia para Hogsmeade, a onde encontrava a menina e os dois passavam horas conversando e se amando. Quando finalmente Victoire se formou, ele pediu a mão dela em namoro oficialmente para seus pais.
Lupin, TeddyQuem noos ama nunca nos abandona.
22 (Grifinória, concluído) Londres Licantropo Livro Michael Trevino

Voltar ao Topo Ir em baixo

Mensagem por Ji Chang Von' Rizzi em Ter Abr 11, 2017 3:30 am
FICHA APROVADA.
As informações da conta foram enviadas via MP.


Don't be affraid, my darling.
Ver perfil do usuário
avatar
Administradores

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum