Instituto Durmstrang
É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome se quiser ter a conta ativada, não ativaremos nomes comuns utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

Hugo Granger Weasley

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Hugo Granger Weasley

Mensagem por Aurora Rousseal Von'Rizzi em Seg Abr 10, 2017 4:52 am

Características Físicas


Sua cor de pele é um tom pálido, seus cabelos são da cor dos cabelos de sua mãe, tem cabelos castanhos, só não é cacheados iguais os dela, é  lisos que nem os cabelos de seu pai, os que não possuem nenhum ondulação. A maioria das vezes está com eles bagunçados, por sempre estar correndo para lá e para cá, o que faz Hermione sempre ajeitar os cabelos do filho que resmunga sempre. Seu rosto tem formato triangular, seus olhos tem tonalidades azuis, seu nariz  é  um pouco redondo, bochechas levemente rosadas e ao sorrir, suas covinhas ficam à vista. Ao contrário de seu pai que na sua idade tinha um corpo magricelo, Hugo tem um corpo mais encorpado, o que muitas vezes o deixa preocupado de ficar gordo ao decorrer da idade, o que faz o menino sempre estar correndo e praticando alguns exercícios físicos, o que vem deixando o garoto musculoso.

Características Psicológicas


Um garoto alegre e carismático, ama irritar e provocar a todos aos eu redor, primos, tios, avós, irmã, pai e até mesmo a mãe, mas quando Hermione se irrita de verdade o menino sai correndo, afinal, quem não tem medo dela? Sua diversão é ver os outros irritados e correndo atrás dele, isso faz o menino se divertir muito. Assim como seu pai, Hugo é distraído, mas não da mesma forma que Rony, ele é assim por causa da sua hiperatividade, que não o deixa focar inteiramente só em uma coisa, o jovem sempre está fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo. Sempre está metido em problemas juntos com seus primos filhos de Harry e Gina, e tudo por causa das suas atitudes imprudentes, seguindo seu coração coração ao invés da razão. Por causa de seu gênio imprudentes, acaba levando bronca dos pais, principalmente de Rony, pois Rose muitas vezes entra nas confissões pelo seu irmão não pensar e ela o tenta ajudar e isso leva os dois acabarem em problemas.

História (Origem)


01. Porque escolheu esse Cannon? Por gostar bastante de Rony e Hermione, amar as aventuras e desentendimentos desses dois. Rony com seu jeito comilão e desligado para algumas coisas, Hermione a salvadora do trio entre amigos.
02. Porque acha que deve assumi-lo? Vejo Hugo como um garoto carismático e guloso assim como seu pai, aquela que tem a capacidade de deixar a sua mãe fora de si com seu jeito atrapalhado e mandão, coisa que puxou da senhora Granger, ele sempre está em conflito nas brincadeiras com seus primos, mas seu coração é muito bom, igual todo Weasley.
03. Quanto tempo tem disponível? Todos os dias na parte da tarde e noite, tenho tempo para me dedicar a ele.
04. Apresente um post de pelo menos 15 linhas de como agiria interpretando o Cannon escolhido.

A toca estava uma bagunça, as mulheres da família estavam todas na cozinha preparando altos pratos deliciosos que poderiam ser atacados só na hora da ceia, mas Hugo deu um jeito de chegar até a cozinha sem que ninguém o pegasse e roubou dois biscoitos sem ser pego no ato, porém fora descoberto em baixo da mesa por sua mãe o que fez com que ele levasse uma bela bronca e quase uns tapas da mesma, antes de ela lhe mandar sair da cozinha e não voltar até que fosse chamado.

- Hey, Lilian, consegui roubar alguns biscoitos, você quer? - disse o moreno ao ver sua prima filha de Potter, ela era a prima que o menino era mais apegado e isso tudo porque eles tinham a mesma idade, afinal, ele tinha nascido duas semanas antes do que ela. - É, não posso entrar de novo, mamãe ficou brava, não sei porque ela nega comida se tem um monte lá dentro! - explicou sentando-se ao lado da garota e tirando alguns dos biscoitos de dentro do bolso de seu moletom. - Acha que Hogwarts vai estar mais tranquila quando voltarmos? - questionou-a e deu uma mordida no biscoito de leite e sorriu. - Eu quero na sessão reservada e ver se tem algum livro que tenha azarações mais legais do que tem nos livros que ficam disponíveis para nós. - tagarelava sem parar em uma conversa com a ruiva de olhos azuis. Hugo não buscava conhecimento para se tornar mais forte ou ser  conhecido sabe tudo, ele gostava de aprender coisa avançadas para poder usar em suas brincadeiras, ou seja, ele sempre queria saber feitiços avançados e azarações para aprimorar suas travessuras.  - Eu não procuro problema cara prima, eles que me procuram, ainda não aprendeu isso? - um sorriso travesso tomou conta dos lábios do jovem que não demorou em acabar com o que estava comendo. A franja castanha não incomodava o menino, ele gostava de ter aquele corte de cabelo. Ao escutar seu nome, ele só fez virar um pouco o corpo para ver a sua mãe e tia dividindo a passagem da porta da Toca. - Hum.. Acho que é  a hora que temos que nos arrumar para a festa. - comentou lamentando por ter que se levantar e então voltou a olhar para a sua prima. - Me pega se conseguir! - beijou a bochecha dela e saiu correndo em direção às mais velhas, não demorando em passar no meio delas sem nenhum pingo de cuidado, quase às derrubando, o que o levou a escutar seu nome ser gritado.

-Mãe!!!!  Para com isso! - protestava inutilmente tentando fazer Hermione parar de pentear seus cabelos. - Meus primos já devem estar lá embaixo, me deixe descer, eu já estou bem arrumado. - tentava convencer a mais velha que ela estava muito bem adequado para a festa, porém ela só parou de arrumá-lo quando tinha a certeza por si própria que ele estava pronto. - James também aprontar, porque está falando só comigo? - perguntou ao escutar que não era para aprontar nada e se algo acontecesse ficaria de castigo. - Eu sou sempre o culpado por tudo nessa casa, isso é muito triste, senhora Weasley! - retrucou vendo a expressão nada amigável de Hermione com ele reclamando e resolveu parar, mas claro que ele aprontaria algo, se não aprontasse, não seria ele. - Entendido, não vou fazer nada, tchau! - e assim saiu correndo do quarto para encontrar seus primos, tias, tios e avós.

O lugar estava todo decorado e seus primos e primas estavam todos por ali. Hugo passou entre os tios e foi em direção a mesa da ceia que estava cheia de coisas gostosas, mas antes que pudesse roubar alguma coisa fora chamado pelo pai .- Senhor? - virou levando a mão na nuca e encarou o ruivo. - O que eu estava fazendo? - repetiu a pergunta que tinha sido feita para eles e respondeu sem demora, ele sempre tinha uma desculpa ou quase sempre. - Só estava vendo o tanto de comida deliciosas que vamos ter para mais tarde, não é mesmo? - um sorriso sapeca aparecia em seus lábios enquanto ele se justificava inutilmente, afinal, ele tinha puxado o lado comilão de Rony. - O senhr tem o que? - perguntou em um sussurro e aproximou mais do mais velho que lhe deu um bolinho. - Não conto, não conto. - falo quando foi pedido para que ele não contasse que havia lhe dado o doce e assim o rapazinho se distanciou da mesa e foi em usca de seus primos. - Não sei porque não podemos comer doces antes da hora que eles acham que é a hora, é natal, deveríamos comer toda hora. - resmungava o garoto de cabelos castanhos. - Não vou ficar gordo nada, não enche, James! - retrucou ao escutar uma brincadeira de mal gosto feita pelo seu primo, mas antes que Hugo pudesse se irritar ao ponto de a brincadeira acabasse em briga, Lilian o puxou para longe de seus irmãos. “Não liga, Hugo, eles são uns bobões mesmo!”  Encarou a prima e sorrio de canto. - Eu vou ser o mais forte da família e sempre vou te proteger! -  disse o caçula de Rony e as bochechas coraram ao sentir o beijo da prima em sua bochecha. - Lá vem a vovó com as famosas camisas com as nossas iniciais, ela sempre faz para a gente no natal. - era incrível como a sua avó conseguia fazer uma blusa para cada um dos netos, mas com magia nada demora muito tempo, não é mesmo? - Eu..É.. Eu.. Eu não peguei da mesa, não peguei não, mamãe! - começou a tentar se defender quando o resto do bolinho que havia dado apenas uma mordida fora arrancado de sua mão. - Como eu consegui? - repetiu a pergunta da mais velha e olhou para Lílian, depois para o seu pai que brincava de mímica, o que fez o garoto tombar a cabeça de lado para entender. Rony fazia sinal com as mãos de como se estivesse estrangulando alguém, o que deixou Hugo sem entender muito bem. - Eu tirei de uma pessoa que estava se engasgando…. - voltou a olhar para a sua mãe que não acreditou em nada do que ele tinha lhe dito. - Está bem, foi, foi o papai! - Hermione era de colocar medo em qualquer um quando estava brava e o seu filho não queria ficar de castigo e sem comer coisas gostosas. Pela cara de Rony, o menino estava ferrado, mas se dependesse de Hermione, nada aconteceria a ele, mas com o seu pai sim.

- COMIDAAAAAAAAAAAAAAAA! - berrou Hugo largando o presente que havia acabado de ganhar e correu para a mesa ao escutar a sua avó falando sobre todos comerem - Desculpa mãe, mas eu preciso comer para crescer! - retrucou ao escutar Hermione chamando sua atenção. - Porco é você seu rabugento! - mais uma briga começaria em breve, se não fosse o olhar de sua mãe sobre ele, o que fez o menino se alar e acomodar no meio de Lílian e Rose. - Mãe, duas coxas, batata, farofa, arroz, salada não.. Nãoooooooooooo - mesmo com os protesto do moreno Hermione colocou a salada em seu prato e o entregou para o jovem. - Rose, se você comer a minha salada.. Eu arrumo seu quarto, o que acha? - perguntou num sussurro e emburrou ao escutar a resposta negativa. - Um dia você vai precisar de um favor meu, vai ver só! - deu a língua para a mais velha e passou a comer enquanto balançava as pernas que não conseguia tocar no chão direito. Ficar cortando as coisas não era a praia de Hugo, que não se importou com quem estava na mesa e agarrou uma coxa com cada mão, passando a morde uma e a outra, em um revezamento. Claro que isso rendeu conversa, mas foi só todos olharem para o pai do garoto e ver a mesma coisa acontecendo, é o caçula era que nem ao seu pai.

05. Texto aqui, aqui deve conter a trama narrada. Suas origens e como foi possível. Seja coerente.

Hermione estava preparando a mamadeira da madrugada de Rose na cozinha quando o barulho ecoou por toda a casa. A caneca que ainda estava com água fria foi para o chão por causa da dor forte na ponta da sua barriga, alguém estava dando o sinal que estava querendo nascer. Era uma e meia da manhã e o grito de Hermione correu pela casa, que chamava por Ron, mas o homem estava dormindo profundamente que nem acordara com o barulho, porém, Rose que estava com sua mãe na cozinha, subiu correndo os degraus e foi acorda o seu pai. Primeiro ela chamou, mas ele só fez resmungar e nem abriu os olhos, então ela puxou o cabelo dele com toda força que tinha, fazendo o homem desperta. - Mamãe, dodói cozinha! - alertou a jovem Weasley, fazendo o pai levantar num pulo e ir até a mulher. - Ele quer nascer agora? - perguntou Rony todo atrapalhado. - Não, ele só quer sair para ver como é aqui fora e vai voltar para  minha barriga, Rony! - exclamou entre os dentes por causa das contrações. Ele pegou Rose e colocou na lareira. - Você vai aparecer na Toca, fala pra vovó que o seu irmãozinho está vindo. - beijou a testa da pequena antes de jogar pó de flu e deixar que as chamas a envolvesse, fazendo assim que ela fosse para a Toca. Depois que a primogênita não estava mais no local, ele apanhou a  mala que Hermione já tinha deixado pronta e aparatou com sua esposa no Hospital St.  Mungus.

Eles chegaram lá às duas horas, Hermione foi levada às pressas para a sala de parto, onde começou uma luta para que o seu segundo filho viesse ao mundo. Uma hora depois de muitas contrações e dores, o garoto veio ao mundo, para ser exatamente preciso, ele chegou ao mundo numa sexta-feira treze as três horas da manhã. Um garoto grande, tendo 53,7 centímetro e pesando 4,4 kg, o caçula apareceu para alegrar a todos. Ele nasceu cabeludo, mas ao contrário de sua irmã, seus cabelos eram castanhos que nem o de sua mão, o que deixou a mulher comovida. Hugo não precisou de ajuda de ninguém para chorar, seu choro ecoou por todo a sala e o corredor, mostrando que ele tinha chegado bem de saúde.

Mãe e filho foram encaminhados para uma sala de repouso, onde Rony pode ver mãe e filho. Quando o homem adentrou a sala, o pequeno estava enrolado em uma manta vermelha que seu pai tinha feito questão de ser daquela cor para dizer que o menino tinha que conhecer a cor de sua casa de Hogwarts desde pequeno. O menino mamava ainda de olhos fechados, mas foi escutar a voz de sua mãe chamar pelo seu pai, que seus olhinhos foram se abrindo com várias piscadelas, afinal, esta era a primeira vez que ele só abria e estava acostumando com a claridade. Foi então que viram os olhos azuis do garoto, ele tinha puxado os olhos de seu pai e os cabelos de sua mãe..
WEASLEY, Hugo Friedrich GrangerMais facíl pedir perdão do que permissão!
12 anos, (2º, Hogwarts) Londres Livro Dylan Muse Sprayberry

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Hugo Granger Weasley

Mensagem por O Cajado em Seg Abr 10, 2017 10:40 am

Ficha aceita, as informações da conta foram enviadas Via MP.


O CAJADO
Eu sou um cajado vibrador
.........
avatar
Staff de Durmstrang


Registro Bruxo
Casa:
Habilidade:
Galeões: 800
Contato
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum