Instituto Durmstrang
É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome se quiser ter a conta ativada, não ativaremos nomes comuns utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

[FP] Jang Jae Yeol

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Jang Jae Yeol

Mensagem por Jang Jae Yeol em Sex Mar 31, 2017 5:09 am

JANG JAE YEOL
37 anos — PROFISSIONAIS BRUXOS — BRUXO — LEE DONG WOOK

   
DADOS IMPORTANTES
   Cargo desejado » Profissionais Bruxos - Vetbruxo.

   País atual » Japão.

   Habilidades » Sensitivo (habilidade desejada).

   
DESCRICÕES
   Descricão psicológica » Jang Jae Yeol é um homem recluso, discreto e fechado, observador por natureza, é capaz de perceber até mesmo as coisas não ditas. Descobriu-se sensitivo na adolescência, obtendo pleno controle da habilidade apenas na maturidade. Inteligente, porém sem grandes ambições, nunca se interessou em buscar pelo amor, às vezes se sente solitário, carecendo apenas de uma boa companhia para conversar. Desorganizado, não gosta que mexam em seus papéis, pensa melhor em sua sala de estudos bagunçada, onde possui uma enorme lareira sempre com uma chama amena crepitando suavemente.

   Biografía » Jang Jae Yeol é japonês apenas por nascimento, filho de coreanos sempre viveu no Japão, conhecendo a terra de seus pais apenas na idade adulta. Frequentou Mahoutokoro, selecionado para a casa Mujino, completou os estudos com louvor, mostrando desde os tempos escolares sua enorme predileção em ligar com criaturas a humanos. Logo após formar-se, foi convidado a assumir a docência de TCM na mesma instituição, enquanto simultaneamente cursava sua especialização, desejava obter um nível de conhecimento em criaturas mágicas e feras em geral que o tornassem indispensável e útil, de algum modo. O bruxo, quando jovem, era orgulhoso e até um tanto prepotente, nunca se interessou por relacionamentos, o que fez surgir uma série de boatos a seu respeito, que o mesmo ignorava com maestria, sem se importar com nada do que qualquer humano pudesse pensar a seu respeito.

Estava no alto de seus vinte e cinco anos, ainda lecionando em Mahoutokoro, quando conheceu Do Min Joon, um jovem problemático e órfão do sexto ano, que apesar de extremamente inteligente, vivia sendo penalizado por mal comportamento. Em uma de suas muitas penitências, acompanhava o garoto enquanto o mesmo limpava fezes do corujal, da cerca dos hipogrifos, assim como de várias outras criaturas, vendo-o sempre cansado, sujo e trabalhando até muito tardar para em seguida voltar a cometer os mesmos frequentes deslizes. Questionava-o sobre seus motivos, recebendo sempre respostas curtas e grosseiras, os demais docentes começaram a exigir medidas disciplinares mais rigorosas, e após duas suspensões cogitaram expulsá-lo. Jae Yeol podia ser um homem fechado, mas sua habilidade sensitiva lhe dizia que algumas peças simplesmente não estavam se encaixando, resolveu seguir o jovem por algumas semanas de forma discreta, descobrindo assim a dura verdade que o cercava.

Do Min Joon não era o rebelde por trás de todas os comportamentos displicentes, mas sim outro aluno, do sétimo ano, que o mesmo encobria assumindo a culpa. O docente descobriu ainda mais, Joon, namorava a irmã daquele rapaz, uma moça do quinto ano e ele ameaçava contar aos pais caso o jovem bruxo não levasse os castigos em seu lugar. Desta forma surgiu a primeira ligação entre Jang Jae Yeol e Do Min Joon, que não foi nada positiva. O professor esclareceu toda a situação, o que acarretou no cancelamento da expulsão de Do Min Joon, assim como na punição do outro aluno, porém este delatou o relacionamento da irmã, o que trouxe novos e mais complexos problemas à tona. Em um primeiro momento, ambos foram proibidos de continuar a relação, o que para o professor não parecia algo ruim, visto que eram jovens demais e certamente superariam uma paixonite estudantil. A culpa pesou sobre os ombros do docente quando interceptou uma carta dos pais da jovem, ao encontra-la chorando copiosamente nas escadarias, abraçada a algumas amigas. A carta dizia que seus pais a levariam a um mestre de poções, para realizar um aborto, havia ali data e horário, e uma exigência de que ela estivesse pronta, ou a levariam a força.

Jae Yeol amassou a carta entre os dedos, aquela não era uma decisão conjunta, e a menina notavelmente não desejava realizar o procedimento. Sem dizer nada, convocou os pais a uma reunião fora dos portões escolares, e após muito conversar, conseguiu um adendo: O rapaz deveria se casar com ela e dar um sobrenome respeitável à criança, apenas assim ela poderia levar a gestação a termo. Porém, o sobrenome de Min Joon não era respeitável e o docente só conseguia pensar em uma forma de mudar aquela situação. A adoção ocorreu no mesmo mês, Do Min Joon tornou-se Jang Min Joon, filho de Jang Jae Yeol. O casamento discreto foi assinado no mês seguinte, o docente viu-se passar de solitário recluso a pai e avô em menos de um ano, o que revirou completamente sua vida. Cinco anos depois, não mais lecionava em Mahoutokoro, havia concluído sua especialização e alcançado seu objetivo maior, tornou-se auror com foco em estratégias bélicas envolvendo criaturas mágicas. Seu filho adotivo estagiava no mesmo esquadrão, seguindo seus passos como forma de retribuir toda consideração do homem ao lhe proporcionar uma família. Infelizmente, aquela manhã cinzenta foi a última em que o auror viu o filho respirar, um ataque surpresa com veneno de dragão fez com que Min Joon sucumbisse em seus braços, antes mesmo de qualquer ajuda médica ter tempo de chegar.

Não demorou muito para a família de sua nora ressurgir das cinzas, a então viúva era agora novamente casável, e seus pais interesseiros levaram-na enquanto o auror preparava o velório. A mulher nem pôde despedir-se do marido, o que fez Jae Yeol prometer vingança abraçado à neta ainda criança, que encontrou sozinha trancada em um dos banheiros, aos prantos perguntando pelos pais. O luto foi superado, a perda não. O tempo levou a dor, a saudade não. Fez passar a raiva, não o sentimento de impotência. Ciente de que agora era sua a responsabilidade pela pequena Moonbin, decidiu trocar a vida instável e perigosa de auror por algo mais discreto e seguro, abrindo uma espécie de clínica de criaturas, onde proprietários das mesmas pagavam em troca de tratamento de afecções em geral. Os anos passaram e surgiu uma nova motivação, a pequena Moonbin completou 11 anos e iniciaria seus estudos longe de casa, a fim de ocupar o tempo que passaria devagar sentindo sua falta, Jae Yeol decidiu iniciar um novo projeto, uma espécie de enciclopédia geral de criaturas mágicas e feras, abordando todos os aspectos em que estas estavam relacionadas ao mundo bruxo.


   
TESTE DE AÇÃO
   Descrição » Para ele, o dia começava após o almoço. Levantava-se calmamente sem preocupação com horários, avaliando o reflexo ao espelho enquanto lavava o rosto e se barbeava. Tentava manter uma rotina dentro do possível, dirigindo-se ao consultório em torno de três da tarde, saindo deste cerca de meia noite, seus clientes conheciam seus hábitos noturnos e não questionavam seus horários, levando suas criaturas para realizar os mais diversos procedimentos no tempo que o homem tinha disponível. Não era raro que o incomodassem diversas vezes com o envio de berradores e patronos alegando emergências, o que levou o bruxo a reforçar os feitiços de proteção da própria residência, como uma espécie de “filtro de falsas urgências”.

Respirou profunda e longamente entrando em seu espaço de trabalho, pendurando o grande sobretudo no gancho ao lado da porta, já haviam alguns clientes esperando por ele, saudou-os dirigindo-se à secretária, recebendo das mãos desta a ordem de atendimentos. – Obrigado. – agradeceu virando-se para os clientes chamando o primeiro nome da lista. – Sr Peterson, acompanhe-me, por gentileza. – o homem se levantou, carregando consigo uma caixa de transporte para dentro da sala anexa, onde Jae Yeol examinava as criaturas. – Boa tarde, o que temos aqui? – indagou indicando que o homem colocasse a caixa sobre uma bancada de mármore que se estendia ao longo da parede sob a janela, observando o Sr. Peterson fazer o que lhe foi indicado e logo abrir a caixa de transporte revelando um apático amasso de pelos malhados. – Trouxe a licença? Só posso atendê-lo se estiver registrado, formalidades. – diz resguardando-se enquanto o bruxo a sua frente estende um certificado que acaba de retirar do bolso das vestes. – Excelente, pode me dizer se algo mudou em sua rotina para deixa-lo desta forma? – prossegue a anamnese, retirando o felino de dentro da caixa para examiná-lo melhor.

As respostas neurológicas estavam normais e o bichano não parecia sentir dor à palpação. – Hum, as fezes e a urina estão normais? Está se alimentando e bem hidratado? – ouviu o proprietário assentir, com a ressalva de que o pequeno Biggles não aceitava nenhum alimento sólido a alguns dias. Calçou as luvas de couro antes de dirigir-se à boca do animal, sentia que ali estava a origem o problema, Não queria lançar-lhe nenhum feitiço calmante antes de verificar se precisaria anestesia-lo, abriu manualmente a boca da criatura logo encontrando uma enorme ferida na gengiva próxima aos molares, onde um objeto estranho parecia inserido. – Aí está, danadinho, andou comendo o que não devia... – o animal grunhiu certamente pela dor e Jae Yeol logo buscou a varinha nas vestes. – Anestecsi! – lança o feitiço observando o animal lentamente cambalear até adormecer por completo, pega uma pinça estéril e remove manualmente o que revelou-se uma pequena placa metálica, com alguns entalhes. – Ouch, parece que este pequeno aventureiro comeu o chinchila de alguém. – o nome “Flufy”, seguido de “docinho da mamãe” podia ser lido no objeto, que foi deixado de lado enquanto o bruxo retomava a varinha. – Que descanse em paz, Flufy. – comentou sem conter um pequeno sorriso, a cadeia alimentar era uma das coisas mais admiráveis e imutáveis, passe o tempo que for, jamais deixará de ocorrer. – Cicatriccio. – lança o feitiço observando a pequena fenda cicatrizar-se lentamente.

Enquanto o pequeno Biggles ainda estava sob o efeito da anestesia, Jae Yeol passou as instruções para seu proprietário, que envolviam basicamente não deixa-lo visitar os quintais vizinhos e vigiar com mais rigor sua alimentação. – Vejo que o Sr. Biggles está despertando. – constata vendo o Sr Peterson abraçar carinhosamente o animal, recolocando-o na caixa de transporte, enquanto agradece repetidamente pelo tratamento. – Por favor, passe na recepção para assinar os recibos, minha secretária tirará uma cópia do registro dele. – acompanha-o até a porta, sorrindo enquanto procura o nome do próximo cliente na planilha em suas mãos, a pequena sala de espera já se encontrava mais cheia que antes, satisfeito percebeu que seria mais um daqueles dias em que passaria da meia noite atendendo.
     
avatar
Profissionais Bruxos


Registro Bruxo
Casa: Mujina 貉
Habilidade: Sensitivo
Galeões: 4.300
Contato
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Jang Jae Yeol

Mensagem por Chapéu Seletor em Sex Mar 31, 2017 1:25 pm

Ficha aceita, bem vindo


— Chapeu Seletor
Nos ensine o que vale a pena. Faça lembrar o que já esquecemos. Faça o melhor, faremos o resto, Estudaremos até o cérebro desmanchar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum