Instituto Durmstrang
É necessário estar cadastrado para ver as informações contidas no forum. Lembre-se de usar nome e sobrenome se quiser ter a conta ativada, não ativaremos nomes comuns utilizados por Hacker. Exemplo: "Barum" "Hakye" e por ai vai. Bem vindos.

[FP] Moon Sun Hee

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Moon Sun Hee

Mensagem por Moon Sun Hee em Ter Fev 28, 2017 2:19 pm

Moon Sun Hee
24 anos — Hospital St. Mungus— Bruxa— Yoon BoRa

DADOS IMPORTANTES
Cargo desejado » Curandeiro

País atual » Inglaterra

Habilidades » Nenhuma.

DESCRICÕES
Descricão psicológica »
Por conta de sua criação acabou se tornando alguém que se molda de a cordo com a situação,  muito embora tenha um lado teimoso e cheio de opinião.  O fato de ter sido criada por um pai abusivo e cuidada por uma pessoa gentil fez dela uma pessoa silenciosa e distante, mas quando perde a paciência se torna um ser selvagem, mal humorada e completamente desbocada. O que difere bem de sua aparência normal e frágil. Não é fácil tirar Sun do sério, mas existem pessoas nesse mundo com o dom de faze-lo com apenas um “Bom Dia.”

Embora deixei a mostra apenas uma fachada mais rebelde e durona, no fundo ela é sonhadora e carinhosa. Sun Hee tem um sonho de conseguir encontrar alguém e ficar com essa pessoa e ser feliz, assim como seus pais foram felizes nos poucos anos que estiveram juntos.


Biografía » Sun Hee ou Maya,  é a quarta filha de Moon Jung Hoo, com sua esposa Choi Ma Ri. Com dez anos de idade viu sua mãe morrer, era uma doença misteriosa que no futuro a jovem descobriria não ser uma doença. Seu pai casou novamente, dessa vez com uma modelo chamado Park Ji Hyo, que a menina não suportava.

Jung Hoo era um homem silencioso e conhecido no mundo dos negócios pro ter subido as custas da fama da família de sua falecida esposa e o dinheiro que eles tinham. Seus irmãos  Moon Jae Woo, Moon Hyun Joo e Moon Min Woon, eram excelentes em tudo que faziam e se não fossem havia um castigo. Toda vez que um dos rapazes errava, ou então cometia algum deslize, Sun apanhava de seu pai que não media esforços para machuca-la e os outros buscarem evitar isso.

Seu avô materno descobriu e interviu fazendo-a ter um cuidador especial, com a desculpa da menina ter ficado deprimida devido a morte da mãe. Kim Young Jae, era um rapaz mais velho e que no passado havia sido filho adotivo do avô da menina. As surras diminuíam, mas quando Young Jae estava longe no trabalho ou então na aula Jung mostrava seu pior lado. O rapaz era o único elo que segurou a moça ainda dentro da família, o quase enlouquecido medibruxo sempre a impedia de se afastar pra sempre. Ela não ficava confortável na frente dos irmãos, por medo de pressiona-los a serem perfeitos, no final ela pegou distancia para não machuca-los.

Estudou na escola Durmstrang, sendo representante da Haus Feur. Longe de ser a aluna mais forte, seu cérebro a tornava uma incrível estrategista e uma ótima chantagista, muitos a comparavam com seu atual mentor Choi Jin Hon. Foi um longo tempo até que a mesma se adequasse aos costumes ocidentais, foi custoso para ela guardar consigo uma serie de tradições. O passar dos anos foram ajudando-a a melhorar na relação com os ocidentais e foi nessa epoca que ela descobriu a verdade sobre a morte da mãe dela e resolveu por fim se vingar.  

Quando saiu de Durmstrang durante as férias do sexto ano, a morena voltou para Coreia a fim de acabar com as coisas que a fizeram mal. O primeiro passo foi pedir que Young Jae voltasse para a casa do avô dela e seguisse sua carreira médica tranquilamente, a segunda foi tirar a limpo o fato de que o homem que bateu nela durante a infancia não era seu pai biológico, mas sim seu padrasto. Nenhuma dos filhos era dele, mas o homem tomou o lugar do irmão apenas pela ganancia do poder e por ela concordou com um comensal e matar a própria esposa.

Durante o tempo que ficou em casa aproximou-se do assassino da mãe e com ele aprendeu a duelar melhor e claro fingiu apaixonar-se pelo mesmo. Em todo o sétimo ano, foi visitada e ajudada pelo homem para se tornar a melhor que podia. Seu padrasto, mal imaginou que aquela união levaria o a morte, fingia não ver. Kang Jong Yoo simplesmente fazia tudo que a garota pedia, pois ela era promissora e o satisfazia das formas que ele carecia. Choi fazia tudo isso apenas para torna-lo dependente dela, quando conseguiu pediu a cabeça do padrasto. Não mais do que dois meses após se formar em Durmstrang ela viu o padrasto morrer e o irmão ser o novo dono do império comercial da família.

Depois da morte de Moon, faltava apenas um passo para vingar sua mãe e ela iria atrás disso. A moça vinha estudando para ser medibruxa, era incentivada por Kang que dizia ser ótimo ter um infiltrado no hospital pra matar aurores que estivessem por lá. No final o único inimigo morto foi o comensal, depois de quatro anos a garota viu o rapaz morrer tossindo sangue e não poder fazer nada. Os outros comensais se comoveram com a tentativa dela de salva-lo e ela provou que ele vinha sendo envenenado a anos. Para o grupo o assassino foi um outro comensal, responsável pela China, que queria dominar a Ásia como um todo. Por fim, a jovem Moon saiu ilesa e se afastou do grupo com o pretexto de não querer mais ver quem amava morrer. Foi liberada com a promessa de nunca contar aos aurores quem eram os membros do grupo.

Após terminar a faculdade, seguiu para a área militar e ao sair do exercito trouxa alguns anos depois veio a se formar a se mudar para Londres. Hoje vive em uma das ruas na movimentada, cuida de sua vida em silêncio e tenta ter um melhor convívio com seus familiares. Ainda tem contato com seu antigo mentor e o amigo da família Song Min Ho. E faz questão de ir todos os anos no aniversário da morte da mãe e de Kang para prestar homenagem. Todos os dias ela pensa se irão descobrir a verdade sobre ela, mas no fundo ela já não se importa. Afinal sua mãe foi vingada e seus irmãos se livraram de um crápula, morrer não seria tão ruim assim.


TESTE DE AÇÃO
Havia saído da cafeteria próxima a seu apartamento e seguiu seu rumo para o hospital onde seu plantão se iniciaria. Depois de se trocar foi até a sala do chefe e deixou uma par de relatórios pro mesmo analisar e se atualizar quando voltasse da folga. Quando ia pra a internação verificar o progresso de uma paciente que atendeu no dia anterior, foi interrompida por Killian e juntos seguiram para a sala de funcionários e lá resolveram um sério problema de confusão de prontuários que estava ocorrendo ali.

Deixou a sala em seguida a resolução para visitar sua paciente, ao chegar se deparou com a cena entre os familiares e apenas fez silêncio. Quando ambos saíram a castanha seguiu até a paciente e fez a checagem de pressão, retina e batimentos que sempre fazia. Pegou o prontuário da garota e riscou as poções e pomadas deixando apenas uma poção emergencial para o caso dela voltar a ter uma piora no quadro. Deixou o prontuário lá e foi até a emergência ver se havia algum caso que precisava atender.

A moça bocejava cansada, a noite anterior tinha sido intensa e agora seu corpo pagava o preço. Ninguém mandou ela resolver passar suas horas vagas treinando ou invés de dormir. Enquanto bebia seu chá Lyanna, uma enfermeira, veio em sua direção correndo e pedindo que ela fosse a emergência do andar pois um jovem que acampava com amigos havia desmaiado e não aparentava ter ferimentos externos.

Sun mordeu o lábio ao se deparar com o quadro do rapaz, não havia cortes ou queimaduras. Bolhas, arranhões ou até mesmo pequenos furos eram comuns quando as pessoas estavam na mata e envolviam-se com insetos. Distraiu-se ao ver pequenas marcas avermelhadas em loqueis esparsos no corpo do paciente. Pediu que a enfermeira chamasse um dos colegas dele, enquanto alcançava um palito de metal. Abriu a boca do rapaz com cuidado e passou o mesmo na cavidade e surpreendeu-se ao retira-lo, a ponta do mesmo havia ficado oxidada o que era um claro sinal de envenenamento. Colocou a mão sob a testa do rapaz e constatou o suor frio e seus lábios começavam a demonstrar diminuição na respiração.

color=#89e8d8]–Respirate[/color] –falou com a voz firme, logo depois de posicionar melhor a cabeça do paciente. –Ele teve enjoo, falta de apetite ou vômitos nos últimos dias? Ele tomou algum tipo de poção nos últimos dias?

Recebeu a resposta absolutamente afirmativa do colega de acampamento do outro e resmungou mentalmente. Virou-se e colocou a mão sob a jugular para ter certeza de quanto tempo ela teria para agir. Bufou tentando imaginar que tipo de poção poderia causar aquilo, em sua mente quase nada parecia fazer sentido.  Pediu que preparassem uma poção estabilizante, ao menos afim de diminuir os estragos do veneno enquanto não o encontra. Foi durante o processo de manufatura da poção, que o frasco do liquido ingerido pelo rapaz parou em suas mãos.

Não havia uma gota se quer pra analise, na frente dizia-se ser um poção para resfriado. Abriu o frasco e sentiu o cheiro tão característico de arsênico, aquilo era incomum no mundo bruxo. Passou olhar para direção do paciente viu que a enfermeira que a auxiliava estava prestes a aplicar a poção.

–Não faça isso, precisamos de duas outras poções. –falava segurando o pulso da enfermeira. –Por favor providencie imediatamente, a poção Antídoto para Venenos Incomuns  e Poção Wiggenweld.

Viu a jovem correr para o andar onde as poções ficavam, esperava que o antídoto tivesse um bom efeito sobre o arsênico, enquanto Wiggenweld ajudaria na recuperação do sistema imunológico do paciente. Quando Lyanna voltou, ajudo-a a aplicar ambas as poções nas medidas certas e esperaram o paciente reagir as mesmas. Não demorou mais do que uma hora para isso ocorrer, porém algo chamava a atenção da jovem coreana.

Havia duas coisas realmente esquisitas naquilo tudo, o arsênico e a ausência de sintomas no rapaz. Tão logo saiu da emergência, após verificar uma última vez se o jovem estava realmente reagindo bem a medicação,  avisou a diretoria do hospital para que a mesma acionasse os aurores afim de descobrir porque aquele homem foi envenenado. Arsênico não era usado no mundo bruxo com frequência, logo a pessoa que preparou a poção provavelmente teria outras intenções e isso precisava ser investigado. Muito embora soubesse da necessidade de investigação, ela pararia de se envolver ali. A única coisa útil que seu padrasto ensinou foi  a não se envolver mais que o necessário.



Última edição por Moon Sun Hee em Qua Mar 01, 2017 12:54 pm, editado 1 vez(es)


Moon Sun Hee
avatar
Vice Diretor de St. Mungus

Idade : 28
Localização : Londres

Registro Bruxo
Casa:
Habilidade: Ocluadora e Elementista completa
Galeões: 104.300
Contato
Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Moon Sun Hee

Mensagem por Chapéu Seletor em Qua Mar 01, 2017 12:37 pm

Ficha aceita, bem vinda


— Chapeu Seletor
Nos ensine o que vale a pena. Faça lembrar o que já esquecemos. Faça o melhor, faremos o resto, Estudaremos até o cérebro desmanchar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum